Linha de crédito para microcervejarias gaúchas

Cervejarias gaúchas ganham alento para o enfrentamento da crise financeira causada pelo Covid-19. A partir de uma parceria da Secretaria de Trabalho e Assistência Social, por meio do programa RS Trabalho, Emprego e Renda (TER), com o Sistema de Cooperativas de Créditos do Brasil (Sicoob) e o RS Garanti, as fábricas vinculadas à Associação Gaúcha de Microcervejarias (AGM), poderão solicitar um financiamento emergencial de até R$125 mil para driblarem os danos causados pela pandemia no segmento.

Segundo a AGM, o diferencial da linha é que o microcervejeiro precisa garantir apenas 20% do crédito solicitado, enquanto o Sicoob cobre o restante, os 80% através da RS Garanti. Além disso, haverá um período de 90 até 180 dias de carência antes de iniciar o pagamento.

Com esta união de esforços em prol do mercado, que está em expansão constante no Rio Grande do Sul, as microcervejarias ganham novo fôlego. Isso porque, as taxas de giro parcelado ficam em 1% ao mês fixo, no prazo máximo de 12 meses; 1,1% de três até 24 meses; e 1,3% de 25 até 36 meses. Há ainda outra possibilidade, onde a taxa fica em 0,7% mais o Certificado do Depósito Intercambiário (CDI) ao mês, no período de 37 até 48 meses.

Outro benefício divulgado, é uma linha adicional chamada de investimento”, onde o valor máximo é de R$ 200 mil e o prazo para o pagamento de até 60 meses. O valor da taxa fica em 0,60 mais CDI. O cartão BNDES também vai existir com o valor máximo de R$ 49,5 mil em até oito meses para pagar.

Será levado em conta pelo Sicoob o faturamento dos últimos 12 meses da empresa, fazendo com que diversas microcervejarias tenham acesso ao crédito. Se a empresa estiver com a documentação em dia, a estimativa do Sicoob para o valor entrar na conta é de sete dias em demanda realmente emergencial.

O presidente da AGM, Diego Machado, salienta que essa linha de crédito contemplará também a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e o Sindicato de Hospedagem e Alimentação (Sindha). “Esse é um grande passo na valorização do trabalho desempenhado pelo nosso microcervejeiro, mostrando a importância da continuidade dos mesmos para o Rio Grande do Sul e assim, juntos, todos iremos sobreviver à crise Covid-19.

Saiba os documentos necessários:

Filiação PJ
• Contrato Social/Alterações
• Faturamento contábil dos últimos 12 meses
• Consulta do simples nacional ou declaração do regime de tributação
• Três últimos balanços com DRE
• Balancete atualizado dos últimos quatro meses

Sócio/proprietário
• Documento de Identificação com foto (RG, CNH)
• Comprovante de residência (água, luz, telefone) atualizado dos últimos 60 dias
• Comprovante de renda atualizado dos últimos 60 dias (holerite, folha de pagamento, declaração de imposto de renda)
• Se o estado civil for casado: certidão de casamento, documento de identificação com foto (RG, CNH) do (a) cônjuge
• Se divorciado: certidão de casamento com averbação de divórcio
• Se viúvo: certidão de óbito

Assuntos Relacionados

beersales

beersales

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.