Lei Geral de Proteção de Dados está em vigor

Numa prova de que o ex-Ministro Pedro Malan estava certo quando disse que no Brasil “nem o passado é previsível”, o Senado Federal, ao votar a Medida Provisória nº 959/2020, que tratava da operacionalização dos pagamentos dos benefícios emergenciais e adiava a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), Lei 13.709/2018, suprimiu o artigo que tratava do adiamento. Com isso, o Projeto de Lei de Conversão (PLC) da referida MP foi encaminhado à sanção presidencial estabelecendo a imediata entrada em vigor da LGPD.

Embora as sanções administrativas só entrem em vigor em 1º de agosto de 2021, por força do Regime Jurídico Emergencial e Transitório das relações jurídicas de Direito Privado (RJET), no período da pandemia do coronavírus, Lei nº 14.010/2020, o PLC enviado à sanção presidencial faz a LGPD entrar em vigor imediatamente a partir da sanção (e não em 27/08/2020, como se tem noticiado) ou em 14/08/2020 (se houver veto presidencial ao PLC, restabelecer-se-á o prazo original da lei, qual seja, 14/08/2020). 

Enquanto as sanções administrativas ainda aguardam sua entrada em vigor e a efetiva estruturação da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), agência reguladora do tema que, a propósito, teve sua estrutura operacional implementada pelo Decreto nº 10.474, no último dia 26 de agosto, o efeito prático da imediata vigência da LGPD é permitir ações cíveis, individuais e coletivas (por meio do Ministério Público) contra as empresas que estejam descumprindo as disposições da Lei.

Assim, faz-se necessária a adaptação e adequação às disposições da LGPD por todas as empresas (já que não há, na prática, qualquer instituição que não efetue tratamento de dados, nos termos da lei).

beersales

beersales

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.